sexta-feira, 29 de junho de 2012

Os melhores espetáculos de Dança de 2012

Atenção bailarinas e bailarinos desse mundão!!!

Confiram os melhores espetáculos de dança do ano. Alguns já foram, mas ainda é tempo de se programar para os próximos.

1º Lugar
Espetáculo: Adoniran
Homenagem aos 100 anos de nascimento (2010) do compositor Adoniran Barbosa.
Quando e onde: 19 de maio, em Jundiaí-SP

2º Lugar
Espetáculo:Baobá
Uma livre interpretação do clássico O Pequeno Príncipe, de Saint-Exupéry.
Quando e onde: De 1 a 3 de junho, no Teatro da Caixa, em Curitiba

3º Lugar
Espetáculo: Tatyana
Adaptação da obra de Alexandre Puschkin.
Quando e onde: Dias 15 e 16 de junho, no Teatro Gov. Pedro Ivo, em Florianópolis.

4º Lugar
Espetáculos: Cidade Incerta / Princesa
São 2 espetáculos para o público apreciar e se deliciar.
Quando e onde: De 19 a 22 de julho, no Teatro Municipal, em São Paulo.
 
5º Lugar
Espetáculo: Benguelê
A companhia mineira apresenta uma exaltação às raízes africanas no Brasil.
Quando e onde: De 10 a 12 de agosto, no Teatro Alfa, Em São Paulo.

6º Lugar
Espetáculo: Don Quixote
A única escola do Bolshoi fora da Rússia apresenta o repertório de Marius Petipa.
Quando e onde: 28 de setembro, no Teatro Positivo, em Curitiba.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Chá das Princesas- Cobertura completa

O evento foi lindo. Um sucesso.
As bailarinas marcaram presença com seus trajes de gala e fizeram da Royale uma corte muito divertida.

Durante a tarde do último sábado, 23, a Tia Cris e toda a equipe Royale dedicaram ensinamentos para essas bailarinas se transformarem em princesas. E é claro que tudo fica mais gostoso quando se está entre amigas.

A recepção das bailarinas tinha tapete vermelho e um príncipe liiiindo. Cada uma recebeu um nome real- de princesas e rainhas de verdade, e um caderninho com algumas dicas e lições de como se comportar como uma princesa.

Se você não pode ir, perdeu seu caderninho ou já esqueceu toda a lição, publicamos tudinho no blog. Confira o conteúdo da aula agora e as fotos abaixo.

COMO SE COMPORTAR COMO UMA PRINCESA  
Todas as meninas sonham um dia serem princesas de verdade, mas o caminho não é fácil. Além de uma pele perfeita e roupas maravilhosas, uma princesa ter que ter muita educação. Agora você vai saber como uma princesa deve se comportar.
1) Postura: Ande sempre com elegância.
Treino: Caminhe com um livro (ou coroa) na cabeça.

2) Use um vocabulário adequado: Nunca fale palavrões e  comece a usar palavras diferentes.
Treino: Conheça  os nomes dos passos de ballet e sempre fale baixo e pausadamente.
3) Mantenha a compostura: Mesmo se você cair no meio dos seus amigos e eles rirem de você, finja que nada aconteceu.
Treino: Dance uma coreografia de 30 segundos sozinha.
4) Nunca se atrase para compromissos.
Treino: Ouça as músicas e começa a coreografia na hora certa. Nunca chegue atrasada na aula de ballet.
5) Respeite as regras.
Treino: Sempre faça coque e use uniforme nas aulas de ballet.
6) Generosidade.
Treino: Compartilhe seu lanche com as amiguinhas. Ofereça algo para um menino de rua comer pelo menos uma vez por semana.
7) Pense primeiro nos outros.
Treino: Não brigue na fila para entrar na aula e ofereça seu lugar para uma amiga.
8) Seja Gentil.
Treino: um sorriso bem grande acompanhado de um bom dia para as pessoas.
9) Acredite em si mesma.
Treino: Olhe para o espelho e grite: eu sou capaz de fazer qualquer coisa. E faça um passo de ballet que não achou que conseguiria.
10) Seja persistente.
Treino: Não falte aos ensaios e aulas e coloque metas para si mesma. Trabalhe duro todo dia.
11) Gratidão.
Treino: Sempre agradeça por tudo que fizerem por você. E agradeça a Deus todos os dias por estar viva, ter seus pais e a oportunidade de usar seu corpo para dançar.
12) Diplomacia.
Treino: Quando vir uma briga entre amigas acontecendo, acalme a situação e mostre que cada uma tem um pouco de razão.
13) Maneiras.
Treino: Conheça regras de etiqueta para se portar à mesa e sempre tratar as pessoas bem. Saiba mais na próxima página.
14) Beleza e Força.
Treino: Não é ser bonita, é a beleza interior que tem que aparecer. Sorria, agradeça, seja gentil, amiga, grata e muito feliz. A felicidade vai fazer sua força e beleza abrirem as portas.

REGRINHAS DE ETIQUETA
A etiqueta está presente em vários momentos,  aqui vocês verão o que faz parte das regras de etiqueta e poderá confirmar que tudo que dissemos nas páginas anteriores.
1) À mesa
-Os braços não devem ficar apoiados enquanto estamos comendo, muito menos o cotovelo
- Elogiar a comida é um ato gentil, mas não se deve pedir a receita
- Existem cinco tipos de copo: para água, para vinho tinto, vinho branco,
champagne e o cálice, para licor ou vinho do porto. Segure a taça pela haste;
- A colher é usada na mão direita e levada à boca pela lateral;
- O garfo é usado tanto na mão direita quanto na esquerda;
- A faca é usada somente na mão direita e serve para cortar os alimentos e não para empurrar a comida para o garfo.
2) O andar
-Deixe o tronco reto ;
- Mantenha a cabeça elevada. Mas não como “nariz empinado”;
-Olhe sempre para a frente;
- Não dê passos muito largos e não balance os braços ao caminhar;
3) Postura ao sentar
-Ao sentar-se em uma cadeira, não apoie no encosto, ele deve ser considerado um enfeite;
- Mulheres educadas cruzam as pernas; mulheres requintadas não cruzam as pernas;
- Em um sofá ou poltrona, sente-se de lado e não encoste no braço do móvel;
4) Ao cumprimentar
-A mulher deve ser a primeira a estender a mão ao homem e, nunca, o contrário;
- Beija-se somente pessoas já conhecidas;
- O aperto de mão deve ser firme e não balançando os braços;
- Se estiver sentada, levante-se para cumprimentar;
5) Vestida para festa
-O    O calçado é o complemento mais importante. Ele valoriza uma roupa simples e anula uma sofisticada;
- Podemos classificar os trajes em quatro categorias:
Esporte: calça comprida, bermuda, jeans, saia e blusa, vestido de tecido de algodão. Sapato de salto médio, rasteirinha ou sapatilha.
Passeio: vestido, tailleur, pantalona, blusa de manga ¾ ou comprida, blazer, terninho. Sapato de salto médio.
Passeio completo: roupas de tecidos finos, blusas de manga comprida, vestido, tailleur, terninho. Evitar estampas. Sapato de salto alto.
Black tie: o comprimento da roupa é longo, cobrindo o sapato. Roupas com brilho e bordado. Evitar roupas estampadas. Sapato forrado de tecido e salto alto.
- Chapéus devem ser usados somente em eventos durante o dia. À noite, opte por um enfeite de cabeça.
- Usa-se luva somente em ocasiões muito sofisticadas. DICA: Ao cumprimentar alguém, tire as luvas
.
6) Linguagem
-        Fale corretamente, obedecendo às regras gramaticais;
- Não use palavrão ou gírias;
- Converse olhando nos olhos da pessoa;
- Fale em um tom moderado, sem gritar.

DICAS PARA PRINCESAS FICAREM SEMPRE LINDAS
- Para o esmalte durar mais, guarde o produto na geladeira. Se endurecer, mergulhe o vidrinho em água quente para retomar a consistência.
- Não esqueça de passar protetor solar nos cabelos também.
- Sabe aquelas bolsinhas lindas que você ama de paixão? Elas podem sujar, manchar e até rasgar se ficarem jogadas qualquer jeito no armário. Uma dica é colocar cada uma em um saquinho de pano ou plástico. Assim, cada vez que for usar, elas estarão novas em folha.
- Para que o batom fixe por mais tempo, passe uma camada bem fininha de corretivo nos lábios antes da aplicação do batom.
- Uma camisetinha branca ganha um look super transado com alguns acessórios. Pegue uma fita de cetim colorida e amarre logo abaixo dos seios. Você pode deixar as pontas para trás, para frente ou na lateral, como preferir. Simples e fashion!
- Se as suas bijus de prata estiverem manchadas ou pretas, vai aí um truque. Espalhe uma pequena quantidade de pasta de dente branca sobre elas e passe um pano ou flanela seca. Elas vão ficar como novas!









terça-feira, 26 de junho de 2012

Técnicas e Métodos do Ballet Clássico- parte 6- Cubano

CUBANO
A mais nova e mais inovadora de todas as metodologias. 

Em 1948 nasceu a Escuela Cubana de Ballet, desenvolvida a partir da grande influência que os russos exerceram em seu país, e também pela experiência pessoal de Alicia Alonso, sua figura mais mítica, que nos EUA conquistou o título de primeira bailarina do American Ballet Theatre. Alicia respeitou as característcas do povo cubano e, em pouco tempo, mostrou ao mundo inteiro a excelência de seu método.

As aulas do método Cubano são expansivas e trabalham muito allegros, batteries e giros. Os bailarinos cubanos se destacam pela agilidade e grande força.
A técnica combina uma proposta que mistura o melhor da Escola Russa (Vaganova) e adiciona características próprias do temperamento e do biotipo dos bailarinos latino-americanos.

O Ballet Nacional de Cuba ocupa hoje a posição de uma das maiores companhias de dança do mundo e seus bailarinos, os postos de primeiros bailarinos das maiores companhias do mundo.

sábado, 23 de junho de 2012

Cuidando da sua sapatilha de pontas


Já deu pra perceber a importância das pontas na vida de uma bailarina, certo? 
Então se liga!!! Cuide bem da sua sapatilha, conserva-a. Não é só a dureza da palmilha que vai determinar o tempo de uso.



Siga essas dicas espertas:

- Não guarde sua sapatilha em sacos plásticos. O suor fará com que ela amoleça mais rapidamente.

- Não guarde as ponteiras dentro da sapatilha. O suor é mesmo um vilão.

- Após cada uso, deixe suas sapatilhas lagarteando ao sol. Elas não fazem fotossíntese, mas secam mais rapidamente.

- Evite “quebrar” a sapatilha debaixo de moveis pesados ou pianos. Isso só vai acelerar o amolecimento. Ela deve ser moldada no pé com o uso, ou no máximo, levemente modelada na altura da curvatura do colo de pé.

- Não limpe sua sapatilha com álcool ou Veja. Use maquiagem para esconder a sujeira, ou melhor ainda, coloque uma meia por cima da sapatilha, isso a manterá limpa até o espetáculo.
 
- O tempo de duração das sapatilhas, em média, é de 3 a 6 meses para iniciantes, 1 a 2 meses para adiantados e pode chegar a durar apenas 2 semanas para profissionais.

Use com sabedoria. 

Chá das Princesas

Está acontecendo nesse momento o Chá das Princesas na Royale. 
As bailarinas vieram vestidas com seus trajes de gala para o chá da corte Royale e estão começando a aprender como uma verdadeira princesa deve se comportar.


Confira na próxima semana a cobertura completa do Chá da Princesas.





quarta-feira, 20 de junho de 2012

Voltando às pontas

Nós já falamos bastante sobre como escolher suas sapatilhas de pontas aqui e aqui, mas ainda não falamos sobre as variáveis pessoais de cada bailarina e como isso pode ser determinante. Não adianta você querer loucamente uma Gaynor se o seu pé e seu corpo se ajustam melhor a uma Giselle, da Capezio.

Agora vamos falar sobre os nossos corpos.

TIPOS DE PÉ
Os pés podem ser categorizados em três tipos, conforme a terminação dos dedos:

    Grego                Egípcio     Quadrado ou Polinésio

Para descobrir qual é o seu, aperte com a mão as laterais para ver como seu pé quando sofrer a compressão do box da sapatilha. O traço preto acima dos dedos mostra como o box ficará apoiado nos seus dedos. Para cada formato de pé existe um modelo de sapatilha.

COLO DE PÉ X PALMILHA
Teoricamente, quanto maior o colo de pé, mais dura a palmilha, mas o mais importante nesse caso é avaliar a força do pé.
Já o tamanho da palmilha tem como padrão atual 3/4, mas bailarinas com colo de pé avantajado devem usar palmilha inteira (isso também vale para iniciantes que começam com palmilhas inteiras, porém em sapatilhas mais macias.

Também precisamos levar em conta o eixo de apoio:
A figura A mostra o eixo ideal, onde o centro do tronozelo fica alinhado em linha reta com os dedos. Nesse caso podemos escolher a sapatilha pela força do pé ou pelo nível técnico da bailarina.
A figura B mostra uma situação em que a bailarina tem pouco colo de pé, o que impede o alinhamento perfeito e dificulta o equilíbrio nas pontas. Nesse caso, uma plamilha macia ajuda muito.
A figura C mostra muito colo de pé, que ultrapassa o eixo ideal. Nesse caso, o melhor é utilizar palmilhas mais resistentes para segurar o pé e evitar que os dedos saiam do box ao subir rapidamente nas pontas.

            A                          B                     C

PESO
Fato, fato, fato: Bailarina tem que ser magra.
Ninguém está esperando que você morra de fome ou deixe de se alimentar bem, mas ter um corpo em forma é fundamental para evitar uma sobrecarga nociva - e desnecessária- aos pés.
Enquanto não somos todas magérrimas, os desenvolvedores de sapatilhas recomendam:
- Magrinha: sapatilha macia, com palmilha macia
- Nem magra, nem gorda: Palmilha normal ou reforçada
- Gordinha ou muito alta (pesada): Palmilha reforçada ou super reforçada
Vale observar que é possível (e existe de monte) encontrarmos fatores divergentes na mesma pessoa, por exemplo: pouco colo de pé e muito peso. Aqui a sugestão é usar a palmilha reforçada, embora para pouco colo seja recomendado a macia.

NIVEL TÉCNICO
- Iniciantes: Sapatilhas macias, palmilhas inteiras ou 3/4.
- Adiantados ou Profissionais: Sapatilhas mais firmes, geralmente com palmilhas ¾ ou ½.
Não significa que uma menina não possa usar uma sapatilha profissional. Até pode, mas seu pé deve ser forte e seu nível técnico, alto.
E também podemos colocar sapatilhas profissionais em iniciantes em casos pontuais, como um pé muito largo (não existe sapatilha iniciante com box quadrado), mas com palmilha soft pra compensar.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Técnicas e Métodos do Ballet Clássico- parte 5- Balanchine

BALANCHINE

Linguagem clássica e sotaque americano... só podemos estar falando de Georges Balanchine (1904-1983), o russo que transformou o ballet nos Estados Unidos.
Balanchine é reconhecido como o coreógrafo que revolucionou o pensamento e a visão sobre a dança no mundo, sendo responsável pela fusão dos conceitos modernos com as idéias tradicionais do ballet clássico, o verdadeiro criador do bailado contemporâneo e um dos maiores influenciadores dos mestres da dança.

Balanchine, sobre si mesmo, "Nós devemos primeiramente compreender que a dança é uma arte independente, não um mero acompanhamento. Eu acredito que ela seja uma das grandes artes…A coisa importante no balé é o movimento por si mesmo. Um balé pode conter uma história, mas o espetáculo visual…é o elemento essencial. O coreógrafo e o bailarino devem lembrar-se que eles devem alcançar a platéia através dos olhos. Esta é a ilusão no qual convence a platéia, tal como é no trabalho de um mágico."

Depois dessa linda definição, vale observar alguns detalhes de sua técnica:
O port-de-bras é a tradução da liberdade refletida em auto-suficiência e auto-estima. As mãos mostram os cinco dedos de maneira acentuada e devem ser livres na sua movimentação e os grands-pliés sobem de uma vez, sem paradas nítidas no demi-plié.
Em todos os movimentos em que o calcanhar tenha saído do chão, ao retornar, ele não deve encostar totalmente de novo, o que acentua a velocidade da execução dos movimentos e contrasta fortemente com a concepção de Vaganova, em que o demi-plié profundo é acentuado, buscando-se, ao colocar o calcanhar no chão, não apenas alongar o tendão de Aquiles, mas também favorecer a altura dos saltos. Ou seja: o bailarino de Balanchine dança numa velocidade muito superior ao russo; em compensação, o bailarino formado pelo método Vaganova tem saltos muito mais altos, o que, obviamente, exige um tempo maior de execução.
Os quatros arabesques denotam o deslocamento do ombro para sugerir a idéia de oposição, de cruzamento entre tronco e quadris (o eixo central do corpo é sempre a referência da direção da perna e do braço em arabesque, por isso as pernas nas direções devant e derrière são usadas com cruzamento acentuado). Nesse movimento, o quadril é mantido acentuadamente aberto. 
Os movimentos devem ser executados pensando em cada um no momento em que estão acontecendo; não se deve sacrificar um movimento em função da dificuldade do movimento seguinte.
Os attitudes derrière, na posição effacé, não são tão alongados que formem um ângulo oblíquo como os russos; tampouco são tão encurtados que formem um ângulo reto como os ingleses. O attitude devant deve ser bem cruzado e por conseqüência só será en dehors dentro da medida do sensato e do possível.

Essa linha de trabalho é realmente bem diferente das que conhecemos mais profundamente aqui no Brasil, não é mesmo?


sexta-feira, 15 de junho de 2012

Técnicas e Métodos do Ballet Clássico- parte 4- Francês

FRANCÊS

Podemos começar pensando em uma coisa... a maioria das terminologias no ballet são em francês, logo, a escola francesa é considerada a base de todo o treinamento de ballet.Vamos conhecer um pouco mais sobre essa grande influência.

Em 1725 o maître-de-ballet Pierre Rameau, que ensinou dança na corte espanhola, escreveu um pequeno livro intitulado “Le Maitre à Danser – O Maestro de Dança”. No livro, o autor reafirmava a importância da posição en dehors dos pés e das cinco posições fundamentais. Admitindo o princípio de que a técnica não é um fim, mas um pré-requisito e um meio necessário, insistiu na obrigação de um forte treinamento para os bailarinos. 
Rameau prescreveu regras para a utilização do en dehors e exercícios próprios para o desenvolvimento da extensão e do alongamento das articulações e dos músculos. Também são atribuídos a ele a invenção de tours de jambes en dehors e en dedans e dos ports de bras.

O método Francês é conhecido por seu estilo clean e sofisticado. É um estilo que insiste, com muita elegância e suavidade, em movimentos graciosos em detrimento da técnica perfeita. É aquele ballet dançado, gostoso, que leva mesmo o corpo para outra atmosfera ao fundir dança e mímica.
Para reconhecer um bailarino do método francês é só observar sua fluidez e elegância nos palcos e aulas, e até no jeito de se movimentar em tarefas normais.

Este método de ballet também é caracterizado por sequências muito rápidas, que às vezes parecem um movimento só. A rapidez dos passos dá a ilusão de bailarinos deslizando suavemente e sem esforço no chão. Por causa dos aspectos românticos do estilo, a música é tocada mais lentamente do que nos outros estilos de ballet.

Entre os principais bailarinos formados pelo método Francês estão Manuel Legris, Laurent Hilaire, Belarbi Kader, Isabelle Guerin, e Maurin Elisabeth. E é claro que não podemos nos esquecer do perfeito Rudolf Nureyev.




quarta-feira, 13 de junho de 2012

Audição Bolshoi

Durante o Festival de Dança de Joinville, o Bolshoi  irá promover sua tradicional (e esperada) audição para a entrada de novos alunos na escola brasileira. A seletiva acontece dia 23 de julho, na sede da escola.

Quem tiver interesse pode se inscrever pelo site até o dia 21 de julho ou diretamente na escola em Joinville até o dia 22. A taxa de inscrição é de R$ 15,00.

É importante estar por dentro de todo o processo, então, antes de fazer a inscrição, baixe e leia atentamente o edital e o regulamento da participação.

Quem pode participar?
Meninos e meninas de todo o Brasil. Para o Ballet Clássico, nascidos de 1995 a 2001 e para a Dança Contemporânea, de 1995 a 2000.

O que levar?
Isso vale para qualquer seleção: chegue com uma hora de antecedência, portando RG.
Também precisa apresentar uma foto 3x4 e o original do comprovante de pagamento da taxa de inscrição.

Como é a audição?
A seletiva é dividida em 3 etapas, todas eliminatórias. 
- A 1ª é uma aula de ballet clássico normal, com barra e centro, para avaliação do nível técnico dos cadidatos, equilíbrio, musicalidade, giros, saltos e alongamento, além da habilidade nas pontas.
- A 2ª etapa é uma avaliação fisioterápica. São analisados musculatura, articulações e desvios posturais, além das específicas para o ballet, como abertura de quadril (rotação externa), en dehors e flexibilidade.
- A 3ª e última etapa é uma entrevista para conhecer o bailarino e suas expectativas.



O resultado é sempre divulgado no site www.escolabolshoi.com.br, e em editais na feira da sapatilha e na Escola Bolshoi alguns dias após a seletiva.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Bailarinas revisitadas

Olha que bacana: esse criativo artista usa fotos antigas de bailarinas e costura linhas coloridas em seus vestidos. As cores dão a ilusão de que as bailarinas estão em movimento e renovam o visual artístico de cada imagem.

Belo trabalho do Jose Romussi, vocês não acham?
Conta pra gente de qual deles vocês mais gostam?
































Se você curtiu as artes do Jose Romussi, conheça mais da sua obra AQUI.
SUCESSO!







Para sempre em nossos corações

Saiu na revista TPM (Trip para Mulheres) de maio mas nós comentamos no dia dos namorados. 
Celebridades e pessoas normais abrindo seu coração em depoimentos verdadeiros sobre seu amor pela dança.

É gente, mais incentivo. Abra seu coração também, vem dançar! 

Leticia Spiler, 38 anos, atriz 

“A dança é uma coisa que já está dentro de mim. Quando criança, eu ‘bagunçava’ as aulas de balé, achava chato. Quando fui mãe, aos 25 anos, quis voltar a dançar e uma amiga me indicou o professor francês Jean Marie Dubrul. Me apaixonei. Prova de que o professor é quem faz o aluno, redescobri o prazer de dançar!”

#FICADICA
Se você já tentou dançar quando era criança, porque sua mãe obrigava, e odiou, tente de novo. Tudo vai ser diferente, seus sentimentos, seus limites, suas superações... e o seu corpo. Aproveite o seu momento e se entregue de corpo e alma. 
 


Vivian Mattos, 31 anos, administradora 

“Após ter deixado o balé ainda menina, a dança voltou à minha vida na fase adulta quando eu, cansada da monotonia das academias, procurava um jeito mais divertido de manter a forma. Encontrei também uma maneira de eliminar o estresse e trazer mais beleza e leveza ao meu dia a dia."

#FICADICA
Pode tentar musculação, natação, body jam, combat, jump, pump e até balance. Pode ir para o Yoga, pode fazer pilates. Pode jogar futebol, praticar corrida...
Tem gente que não se identifica com nenhuma das atividades acima, tem outras que gostam de uma ou duas...mas é certo que quando alguém quer desestressar e se divertir, logo fala: Tô precisando pegar uma balada pra dançar muitoooooooooo.
Não precisa de balada não. Vem dançar com a gente, 2 vezes por semana pelo menos. Dançar é terapia, é encontrar os amigos, é conhecer a si mesma. 


Mariana Valentini, 33 anos, fotógrafa 

“Desde pequena a dança faz parte do meu mundo. Balé para mim é paixão e persistência. Principalmente depois dos 30, quando o corpo não responde mais como quando você era criança. Superação é conseguir abrir um espacate aos 33.”

#FICADICA
Dançar é conhecer e superar seus próprios limites e comemorar quando os pés se enchem de bolhas.



Sarah Oliveira, 33 anos, apresentadora 

“Comecei a ter aulas de balé clássico aos 3 anos, no Estúdio de Ballet Cisne Negro. Morei em Londres, onde cursei a Royal Academy of Dance, e em Dallas excursionei com a Schauffenburg Academy. A disciplina de vida, a postura física e a musicalidade que tenho vieram do balé. Parei aos 22 anos, mas ainda faço aulas esporádicas. Me emociono com cada filme ou espetáculo que vejo."

#FICADICA
Quem ama a dança uma vez jamais deixa de vivencia-la em tudo. É na postura perfeita, nos pés de pinguim, no remelexo conforme a música (sempre, não importa o ritmo nem o lugar), na disciplina e persistência que a bailarina apaixonada se revela. E por toda a vida, em tudo que fizer.

NA ROYALE NÓS AMAMOS DANÇAR. E HOJE, A DECLARAÇÃO DO DIA DOS NAMORADOS É PARA ELE:

BALLET CLÁSSICO, OBRIGADA POR TUDO QUE VOCÊ NOS PROPORCIONA. POR TODAS AS PIROUETTES, OS GRAND JETÉS E ATÉ PELAS BOLHAS NOS PÉS, DORES NO CORPO E ESTIRAMENTOS. É LINDO VER TUDO QUE JÁ FIZEMOS JUNTOS.  
TE AMO.


 

Técnicas e Métodos do Ballet Clássico- parte 3- Royal


RAD- ROYAL ACADEMY OF DANCING
 
A Royal Academy of Dance foi fundada por professores que uniram técnicas de dança francesas, italianas e russas para criar um estilo único de ballet.
Atualmente são mais de 15 mil membros em 82 diferentes países, o que faz da RAD uma das mais maiores e mais influentes organizações de ensino e prática de dança no mundo. Além disso, a Royal também tem a maior banca examinadora, que avalia cerca de 200 mil candidatos por ano.

O método oferece 2 programas: Grades e Majors, de acordo com a idade e grau de instrução dos alunos. As aulas são coreografas e atualizadas de tempos em tempos. Todos os professores que trabalham com o Royal montam suas aulas em cima do Syllabus, um  pacote de apostila, CD e vídeo que trazem toda a matéria. Os exercícios são simples e devem ser muito bem executados, tanto pela repetição quanto pela consciência corporal. As aulas são divididas em 3 partes: clássica, free movement e caráter, que se encarregam de trabalhar o bailarino para diferentes ritmos e sensações.
Os exames podem ser semestrais ou anuais e são realizados por uma banca examinadora de fora da escola.

Uma característica muito marcante no método Royal é o fato de os professores encorajarem fortemente os seus alunos a alcançar o seu melhor no entendimento, apreciação e execução do ballet clássico para atingir os mais altos níveis de ensino e aprendizado.

Alguns dos bailarinos mais famosos de hoje em dia são do Royal:
Alina Cojocaru, Marianela Nuñez, Tamara Rojo e o nosso brasileiríssimo (e maravilhosíssimo) Thiago Soares.

Veja um vídeo dele como Órion, em uma montagem do Royal Ballet do repertório Sylvia.


sexta-feira, 8 de junho de 2012

Técnicas e Métodos do Ballet Clássico- parte 2- Vaganova


VAGANOVA

O tradicional Russo é também conhecido como Vaganova, tudo por causa da maravilhosa Agrippina Vaganova (1879-1951), que foi diretora artística do Kirov.




A genial professora criou seu próprio método fundindo elementos dos métodos francês, italiano e mais influências de outros bailarinos russos. Seu sistema de ensino também é exigente (já deu pra perceber que pra ser um bom bailarino, treino e dedicação são fundamentais) e sua técnica, muito precisa.

Quando viva, Vaganova rigorosamente planejava cada aula de antemão. Assim, elas tinham uma evolução aparente, com bons bailarinos através de sequências difíceis. Além disso, ela fazia questão de explicar as razões de cada exercício. Hoje,cada professor monta a sua própria aula, de acordo com orientações.

plies-vaganovaVaganova enfatizou dançar com o corpo inteiro, promovendo a movimentação harmoniosa entre braços, pernas e tronco. Ela acreditava que o tronco é a parte inicial de todos os movimentos, de forma que o tronco da dançarina teve ser reforçado: um exercício que ela prescreveu para esta área era a de fazer séries de pliés com os pés na primeira posição, desenvolvendo equilíbrio e controle. Isso fez surgir bailarinos extremamente fortes, com músculos abdominais e das costas reforçados, o que ajuda em todos os movimentos.

#EmTempo: O método Vaganova formou alguns dos principais bailarinos de todos os tempos, como Mikhail Baryshnikov é conhecido por seus saltos aparentemente impossível no ar, muitas vezes sem qualquer preparação aparente. Baryshnikov usava seus braços para criar sustentação em seu corpo, sem flexionar as pernas para empurrar o chão, um traço comum a todos os bailarinos formados no método Vaganova.
Além dele, podemos mencionar Marina Semenova, Kamkova Natalia, Ulanova Galina, Mungalova Olga, Vecheslova Tatyana, Kolpakova Irina, Balabina Feya e Natalia Dudinskaya